Bairro Tristeza terá Centro Cultural

Por Ocimar Pereira

O novo Centro Cultural da Tristeza será apresentado sábado, 13, com a realização de piquenique, na Rua Landel de Moura, 430. A onda de integração com aproveitamento dos parques e praças iniciada nas redes sociais pela plataforma colaborativa portoalegre.cc, vai reunir os amigos, familiares, vizinhos, crianças e idosos no clima de celebração ao verde e de cuidado com a cidade, no bairro Tristeza.

O evento tem o objetivo de apresentar e abrir o antigo Fórum da Tristeza para a comunidade. Os organizadores querem divulgar o projeto de transformação do prédio histórico em um centro cultural da Zona Sul. A iniciativa prevê a implantação de biblioteca, teatro, oficinas da arte, bistrô, memorial da região, entre outras possibilidades. A direção do Centro Comunitário sugeriu que os participantes levem chimarrão, lanches e sucos para o piquenique da Zona Sul. “Passei na frente deste lugar semana passada e me chamou a atenção a sua beleza arquitetônica, embora esteja sem conservação. A idéia de transformá-lo em um centro cultural é ótima! Estarei lá pra apoiar o evento”, escreveu a internauta e moradora da Tristeza, Milena Vieira de Oliveira numa página da rede social.

A priorização do projeto foi definida em novembro do ano passado pelos membros Comitê Mobilização do 5º Congresso da Cidade. Na ocasião, os participantes chegaram ao consenso de priorização de um projeto regional, apresentado pela presidente do Centro Comunitário da Tristeza, Vila Conceição e Pedra Redonda, Maria Ângela Pellin, que chegou com um CD, onde constava a apresentação de um filme sobre o antigo Fórum Regional de Justiça da Tristeza localizado, na avenida Padre Landel de Moura, 430.  O prédio do antigo Fórum também foi fábrica de objetos de decoração e hoje conta com um projeto arquitetônico para o funcionamento do Centro Cultural. A apresentação proporcionou aos participantes um passeio pela história da Tristeza e uma nova perspectiva para a região sul e para a cidade.

A defesa do projeto foi um dos momentos marcantes do 5º Congresso da Cidade, na reunião histórica a presidente Maria Ângela Pellin se manifestou em nome de um grande conselho comunitário composto por clubes de mães, associações, instituições culturais, escolas, paróquias e do Centro de Desenvolvimento da Tristeza. O engajamento no projeto contou com a participação direta de seis bairros (Tristeza, Pedra Redonda, Vila Conceição e Via Assunção) e de Ipanema e Jardim Isabel que também aderiram à causa, mas com seus respectivos representantes. O secretário de Governança, Cezar Busatto na condição de  morador do bairro e com um dos membros do Comitê de Mobilização do 5º Congresso,juntamente com expressivas lideranças do bairro está incentivando a organização dos moradores em prol da causa Centro Cultural.

Anúncios

Sobre Jac Sanchotene

Trabalhadora da Cultura, formação em Ciências Políticas e Econômica, Mãe da Greta, coordenadora do Movimento Viva Gasômetro.

Publicado em maio 9, 2012, em Uncategorized. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: