Conheça melhor nossas propostas para área da cultura e outras

3,5% do orçamento do Município para a cultura

Hoje o orçamento da cultura é inferior a 1%. Além do fortalecimento da identidade cultural e do desenvolvimento da sociedade, a área da cultura tem um alto grau de empregabilidade. Estudos apontam que para cada pessoa empregada formalmente, cerca de 16 pessoas são contratadas temporariamente.

Reformulação do Fundo Municipal de Apoio à Produção Artística e Cultural de Porto Alegre (Funproarte)

Reformular o Funproarte de maneira a ampliar o número de setores da classe artística atendidos pelo incentivo. Além de manter um maior controle do emprego da verba pública, bem como o retorno dado à sociedade.

Homologação da Lei municipal de Incentivo à Cultura

Existe uma Lei Municipal de Incentivo à Cultura, nos moldes das leis federal e estadual de incentivo à cultura, aprovada pela Câmara desde 1992, que ainda não foi regulamentada. A homologação desta lei pode fomentar a cultura local através da isenção dos tributos municipais, o IPTU e o ISSQN.

Criação de uma política municipal de cinema, incluindo a distribuição de filmes

Um dos maiores problemas relacionados ao cinema é a distribuição dos filmes: muitos ficam nas prateleiras sem ser exibidos. A criação de uma cota para a exibição de filmes brasileiros, gaúchos e porto-alegrenses não só prestigiaria trabalhos de qualidade que acabam sendo esquecidos, como fomentariam o cinema local.

Descentralização da cultura

O jovem da periferia, que tem dificuldade de se deslocar para área central, pode ser integrado ao tecido social através da cultura. A ampliação da cultura também ajuda a reduzir os índices de violência e aumenta os postos de trabalho para a classe artística, gerando emprego e renda.

Preservação do patrimônio histórico

Oitenta e dois por cento dos prédios históricos de Porto Alegre estão no Centro Histórico. No entanto, prédios como a antiga Usina de Gás Carbonado (a verdadeira Usina do Gasômetro) ainda foi tombada. No entanto, além do tombamento é necessário garantir a preservação do patrimônio histórico, pois monumentos já tombados, como é caso do Viaduto Otávio Rocha, não recebem os recursos necessários.

Mais espaços públicos de exposição para os artesãos

Além de reestabelecer espaços como o Largo Glênio Peres, buscar novos espaços para que os artesãos possam expor seus trabalhos, incentivando a geração alternativa de renda.

Criação e manutenção dos espaços verdes da cidade, entre eles a efetiva criação do Parque do Gasômetro

Em áreas muito adensadas é necessária a criação de parques para um maior equilíbrio urbano e para o lazer da população. Além disso, há estudos que mostram a importância das áreas verdes até mesmo para evitar alagamentos. É o caso da região da Avenida Ipiranga nas imediações da Rua Vicente da Fontoura, onde a criação de um parque poderia drenar a chuva, minizando as enchentes.

Quanto às áreas verdes já existentes, é necessário que haja um maior comprometimento, por parte do poder executivo municipal, na manutenção de parques e praças e também na fiscalização do uso destes espaços. Como por exemplo, as leis que tratam do recolhimento de dejetos de animais e da potência sonora utilizada nestes locais.

Já o Parque do Gasômetro foi uma conquista obtida pelo Movimento Viva Gasômetro na Revisão do Plano Diretor de Porto Alegre, em 22 de julho 2010. E está abrigada no artigo 154, § 21 do Plano Diretor. No entanto, é necessário pressionar o executivo para que isto saia do papel.

Criação de ciclovias e ciclofaixas

A demanda por ciclovias e ciclofaixas é cada vez maior, pois o número de pessoas que aderem à bicicleta vem crescendo.  Os benefícios deste tipo de transporte são vários: o desafogamento do trânsito, a diminuição do uso de combustíveis fósseis, além da saúde, pois pedalar é um exercício.

Mas para que este tipo de transporte possa continuar crescendo, a exemplo de várias cidades e países do mundo, e também para que seja estimulado, é fundamental a construção de ciclovias e ciclofaixas, pois o rico para ciclista trafegar entre os carros é muito alto.

Maior atenção à mobilidade urbana

Melhoria do sistema público de transporte: vias, ônibus, táxis lotações e demais; além da melhoria do equipamento de apoio tais como paradas de ônibus.

O grande número de carros nas ruas satura cada vez mais o trânsito da cidade. Para diminuir o número de carros circulando, o que configura um caos urbano, é necessário que o cidadão tenha boas opções de transporte público, para deixar o carro em casa ou mesmo para que se deixe de comprar novos carros.

Além disso, o cidadão que depende do transporte público necessita de melhorias, pois se desloca diariamente em ônibus lotados e fica muitas vezes sujeito à intempérie, em paradas que não dão abrigo; além dos grandes intervalos de horários e dos atrasos de ônibus.

E mais, para que o trânsito possa fluir são necessários investimentos constantes nas vias.

Apoio a entidades que tratem da causa animal

Dar apoio às ONGs que, com muita dificuldade, recolhem animais de rua e que sofrem maus tratos, e muitas vezes tem que parar este trabalho devido à falta de recursos. Além de incentivar a ampliação do número de castrações para que estes problemas venham a diminuir.

Anúncios

Sobre Jac Sanchotene

Trabalhadora da Cultura, formação em Ciências Políticas e Econômica, Mãe da Greta, coordenadora do Movimento Viva Gasômetro.

Publicado em agosto 15, 2012, em Uncategorized e marcado como , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: