Fórum de Mudanças Climáticas reunirá autoridades internacionais

A Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam) e o Instituto Latino Americano de Desenvolvimento Econômico Sustentável (Ilades) promovem, na próxima segunda-feira, 27, o 1º Fórum Internacional de Mudanças Climáticas das Cidades de Baixo Carbono. Autoridades brasileiras e chilenas em mudanças climáticas e mercado de carbono estarão reunidas ao longo de todo o dia no Auditório do Ministério Público (av. Aureliano de Figueiredo Pinto, 80). 
 
Entre os palestrantes confirmados estão o secretário de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiental, Carlos Klink; o secretário executivo do Ministério das Cidades, Alexandre Cordeiro Macedo; o coordenador geral do Meio Ambiente e Mudanças Climáticas do Ministério da Fazenda, Aloísio Melo; o coordenador do Plano de Ação para a Redução de Emissões de Gases do Efeito Estufa na cidade do Rio de Janeiro, Nelson Moreira Franco; o presidente da Bolsa Verde do Rio, Pedro Moura Costa; o gerente de Energia e Mudanças Climáticas da Fundación Chile, Nicola Bourregaard; e o presidente da Santiago Climate Exchange, Carlos Berner. 
 
Conforme o secretário municipal do Meio Ambiente, Luiz Fernando Záchia, esta é a primeira vez que Porto Alegre reúne em um único espaço experiências consolidadas que visam à redução das emissões de gases do efeito estufa (GEE) e ao mercado de carbono. “Especialistas de diversas áreas irão mostrar os caminhos para que Porto Alegre possa consolidar seu mercado de carbono e definir metas para reduzir as emissões de GEE”, destacou. O secretário disse ainda que a intenção do 1º Fórum é avançar para um marco regulatório municipal. “Queremos construir um plano municipal de mudanças climáticas e desenvolvimento sustentável. Esta política deverá nortear o plano de redução e o inventário de emissões, permitindo o estabelecimento da Bolsa Verde da Capital”, explicou.
 
O presidente do Ilades, advogado especialista em direito ambiental Marcino Fernandes Rodrigues, destacou que entre as experiências que serão trazidas a Porto Alegre por meio do Fórum está a da Santiago Climate Exchange. “O modelo da Bolsa de Carbono do Chile poderá funcionar na Capital se tivermos a implementação de um marco regulatório estabelecido na Capital. A ideia é que, a partir da identificação das oportunidades e dos riscos da cadeia produtiva, passemos a planejar a redução de emissões, certificar e negociar os créditos de carbono no Brasil e no exterior”, explicou.
 
Anúncios

Sobre Jac Sanchotene

Trabalhadora da Cultura, formação em Ciências Políticas e Econômica, Mãe da Greta, coordenadora do Movimento Viva Gasômetro.

Publicado em agosto 23, 2012, em Uncategorized. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: