Jac reafirma seu compromisso com a cultura e com a classe artística, em debate no SATED/RS

Jac participou ontem à noite do debate sobre a Cultura com os candidatos a vereadores de Porto Alegre, promovido pelo SATED/RS e pela a Associação do Centro Cultural Cia de Arte. Imagem

O presidente do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Estado do Rio Grande do Sul, Vinicius Caurio, que conduziu o debate, fez uma exposição sobre a existência de leis que não estão sendo cumpridas, como o Funproarte e o Funcultura. Também comentou sobre pequenas alterações que mudam todo o sentido da lei, a exemplo da inclusão da manutenção de espaços públicos incluída no Funcultura.  Isto fez com que verbas voltadas para a produção cultural passassem a ser usadas em obras.

Caurio ressaltou que esse tipo de alteração deve ser feito em conjunto com a comunidade. Ele cobrou o compromisso dos futuros vereadores de chamarem o Sindicato para o debate, e firmou o compromisso de atender ao chamado.

As reivindicações da classe artística têm total identidade com as principais propostas de Jac Sanchotene: o aumento dos recursos destinados à Cultura, a reformulação do Funproarte, a homologação da lei de incentivo à cultura e a descentralização da cultura. A candidata falou sobre estes temas e reafirmou seu compromisso com a cultura e com a classe artística.

O presidente do SATED/RS encerrou o debate, comentando sobre a ampla divulgação do mesmo, junto aos partidos políticos e aos quase 500 candidatos a vereador. Entretanto, somente seis candidatos demonstraram identificação com a Cultura. Caurio salientou a importância de eleger uma bancada da cultura “precisamos de olhos e ouvidos atentos, pequenos alterações mudam todo o sentido de uma lei.”

 

Saiba mais sobre as propostas de Jac para a Cultura:

Imagem3,5% do orçamento do Município para a cultura

Hoje o orçamento da cultura é inferior a 1%. Além do fortalecimento da identidade cultural e do desenvolvimento da sociedade, a área da cultura tem um alto grau de empregabilidade. Estudos apontam que para cada pessoa empregada formalmente, cerca de 16 pessoas são contratadas temporariamente.

ImagemReformulação do Fundo Municipal de Apoio à Produção Artística e Cultural de Porto Alegre (Funproarte)

Reformular o Funproarte de maneira a ampliar o número de setores da classe artística atendidos pelo incentivo. Além de manter um maior controle do emprego da verba pública, bem como o retorno dado à sociedade.

Imagem

Homologação da Lei municipal de Incentivo à Cultura

Existe uma Lei Municipal de Incentivo à Cultura, nos moldes das leis federal e estadual de incentivo à cultura, aprovada pela Câmara desde 1992, que ainda não foi regulamentada. A homologação desta lei pode fomentar a cultura local através da isenção dos tributos municipais, o IPTU e o ISSQN.

ImagemDescentralização da cultura

O jovem da periferia, que tem dificuldade de se deslocar para área central, pode ser integrado ao tecido social através da cultura. A ampliação da cultura também ajuda a reduzir os índices de violência e aumenta os postos de trabalho para a classe artística, gerando emprego e renda.

Imagem

Criação de uma política municipal de cinema, incluindo a distribuição de filmes

Um dos maiores problemas relacionados ao cinema é a distribuição dos filmes: muitos ficam nas prateleiras sem ser exibidos. A criação de uma cota para a exibição de filmes brasileiros, gaúchos e porto-alegrenses não só prestigiaria trabalhos de qualidade que acabam sendo esquecidos, como fomentariam o cinema local.

Imagem

Preservação do patrimônio histórico

Oitenta e dois por cento dos prédios históricos de Porto Alegre estão no Centro Histórico. No entanto, prédios como a antiga Usina de Gás Carbonado (a verdadeira Usina do Gasômetro) ainda foi tombada. No entanto, além do tombamento é necessário garantir a preservação do patrimônio histórico, pois monumentos já tombados, como é caso do Viaduto Otávio Rocha, não recebem os recursos necessários.

 ImagemMais espaços públicos de exposição para os artesãos

Além de reestabelecer espaços como o Largo Glênio Peres, buscar novos espaços para que os artesãos possam expor seus trabalhos, incentivando a geração alternativa de renda.

Anúncios

Sobre Jac Sanchotene

Trabalhadora da Cultura, formação em Ciências Políticas e Econômica, Mãe da Greta, coordenadora do Movimento Viva Gasômetro.

Publicado em outubro 3, 2012, em Uncategorized. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: